Dispositivos Eletrônicos para Fumar (DEF´s)

De Observatório sobre as Estratégias da Indústria do Tabaco no Brasil
Edição feita às 09h52min de 3 de julho de 2020 por Admin (Discussão | contribs)

Ir para: navegação, pesquisa



Aqui você pode visualizar um verbete sobre as últimas notícias, acontecimentos e outras informações pertinentes sobre os Dispositivos Eletrônicos para Fumar (DEF´s), acompanhadas de suas respectivas fontes documentais e referências. Para acessar a informação, basta clicar no link da notícia ou acessar o documento integral que encontra-se no formato PDF, AVI, JPEG ou MP3.


Fonte: Braga Magazine, 2020

*17 de maio de 2020: Mercado Cigarro eletrônico e Tabaco Vapor por atores-chave, análise de informações sobre produtos e produção e previsão para 2026:[1].

O Relatório de Pesquisa da Indústria do Mercado 2020 da Cigarro eletrônico e Tabaco Vapor rastreia as mais recentes dinâmicas de mercado, como fatores determinantes, fatores restritivos e notícias do setor, como fusões, aquisições e investimentos. Global Cigarro eletrônico e Tabaco Vapor Market Size (valor e volume), participação no mercado, taxa de crescimento por tipos, aplicativos e combina métodos qualitativos e quantitativos para fazer previsões micro e macro em diferentes regiões ou países.


Fonte: Gaz, 2020

*2 de maio de 2020: A Gazeta esteve lá: na audiência da Anvisa, em Brasília: [2].

Base da economia do Vale do Rio Pardo, a cadeia produtiva do tabaco esteve no centro de diversas discussões nos últimos anos no Brasil. Esses debates, sempre complexos e extensos, costumam colocar em confronto as organizações antitabagistas e autoridades sanitárias com as lideranças políticas das regiões produtoras, os agentes da indústria e os representantes dos agricultores.


Fonte: Ver o Fato, 2020

*21 de abril de 2020: Em jogo, saúde pública e liberdades individuais:[3].

A relação entre a pandemia de Covid-19 e a epidemia do tabagismo”. A notícia discorre sobre casos graves relatados no mundo têm relação com o uso pelo paciente de tabaco ou outros produtos fumígenos, como o cigarro comum, o cigarro eletrônico e o narguilé.


Fonte: Trendy, 2020

*13 de abril de 2020: IQOS cria serviço gratuito de empréstimo com uma máquina de tabaco aquecido 2.4 Plus:[4].

A IQOS criou um novo Programa de Empréstimo de máquinas de tabaco aquecido para «evitar o incómodo com eventuais constrangimentos no serviço de Apoio ao Cliente». A Tabaqueira está, assim, a emprestar um kit IQOS 2.4 Plus Blue aos utilizadores registados no site.


*12 de março de 2020: Governador defende debate sem preconceito sobre os produtos de tabaco aquecido:[5].

Em visita à maior região produtora de tabaco do país, o governador do Estado, Eduardo Leite, mais do que reconhecer a importância social e econômica da cadeia produtiva, garantiu apoio político ao setor no processo de regulamentação dos cigarros de tabaco aquecido, popularmente chamados de cigarros eletrônicos.


Fonte: Forbes, 2020

*18 de janeiro de 2020: Philip Morris quer parar de vender cigarros:[6].

a Philip Morris (proprietária da Marlboro, a marca de cigarros mais vendida do mundo) começou a estudar alternativas para fazer seus fiéis clientes pararem de comprar cigarros e passarem a comprar produtos menos prejudiciais à saúde , como o tabaco aquecido IQOS.


Fonte: Uol, 2020

*2 de janeiro de 2020: EUA anuncia proibição parcial de cigarros eletrônicos aromatizados:[7].

Segundo a Agência de Drogas e Alimentos de Estados Unidos (FDA) o objetivo é: "ver se os cigarros eletrônicos podem servir como uma saída para os fumantes adultos que são dependentes dos cigarros por combustão (convencionais), acreditamos que é uma possibilidade".


Fonte: Infomoney, 2019

*4 de outubro de 2019: PHILIP Morris, dona do Marlboro, faz estreia com dispositivo de tabaco aquecido os EUA:[8].

Com a crescente crise de saúde pública associada ao vaping, a Philip Morris International optou por uma estreia silenciosa de seu cigarro alternativo nos Estados Unidos. Ao mesmo tempo, a fabricante de cigarros eletrônicos Juul Labs e demais concorrentes estão sob intenso escrutínio, pois autoridades de saúde afirmam que os vaporizadores são culpados por 18 mortes e mais de mil casos de doença pulmonar.


Fonte: Estado de Minas, 2019

*11 de setembro de 2019: Fabricantes de cigarros eletrônicos preparam estreia no país:[9].

O executivo escocês Grant O’Connell , chefe do departamento de pesquisas da gigante holandesa Fontem Ventures, subsidiária do grupo Imperial Brands , maior fabricante de cigarros eletrônicos no mundo, esteve no Brasil para tentar convencer as autoridades de que, para o bem da saúde pública, seus dispositivos precisam ser liberados para importação, produção e venda no mercado nacional.


Fonte: O Globo, 2019

*5 de setembro de 2019: A misteriosa doença ligada ao cigarro eletrônico que está 'se tornando uma epidemia' e intriga médicos:[10].

A misteriosa doença ligada ao cigarro eletrônico que está 'se tornando uma epidemia' e intriga médicos. Segundo os médicos, pacientes, em geral saudáveis e no fim da adolescência, por volta dos 20 anos, estão aparecendo com falta de ar severa, geralmente após sofrerem vários dias com vômitos, febre e fadiga. Alguns acabaram na unidade de terapia intensiva ou no aparelho de respiração mecânica por semanas.


Fonte: Metrópoles, 2019

*4 de setembro de 2019: “Brasil é exemplo no combate ao fumo”, diz especialista internacional:[11].

O cardiologista Stanton Glantz afirmou que o governo brasileiro é um exemplo pelas políticas públicas que conduziu para desestimular o consumo de cigarros. Também alertou sobre as pressões atuais para a autorização da venda de cigarros eletrônicos. Neste momento, o assunto está em discussão na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).


Fonte: R7, 2019

*29 de agosto de 2019: Cigarro eletrônico ameaça política de combate ao fumo no Brasil:[12].

Políticas voltadas à diminuição do número de tabagistas no Brasil perdem eficácia com avanço de novos dispositivos para fumar, avaliam especialistas.


Fonte: Gaz, 2019

*25 de julho de 2019: Setor se mobiliza pela inserção dos cigarros eletrônicos no mercado:[13].

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) irá realizou uma audiência pública para discutir a possível inserção de novos produtos de tabaco no mercado brasileiro, como os cigarros eletrônicos e dispositivos de tabaco aquecido. Atualmente, esses produtos, considerados estratégicos para o futuro do setor, têm a venda proibida no Brasil.


Fonte: Folha de São Paulo, 2019

*23 de junho de 2019: Cigarro da moda nos EUA, Juul é vendido ilegalmente via delivery no Brasil:[14].

Cigarro eletrônico é encontrado em festas para jovens no Brasil. Apesar da proibição da comercialização, importação e propaganda de dispositivos eletrônicos para fumar . A fabricante Juul Labs, que hoje controla 70% do mercado americano de vaporizadores, nega ter revendedores brasileiros.


Fonte: TobaccoFreeCA, 2019

*4 de abril de 2019: Identify which products teens are vaping:[15].

Há uma nova geração de produtos de tabaco que está viciando uma nova geração de clientes, nossos filhos. Com um aumento de 78% no uso de cigarros eletrônicos em apenas um ano, o Cirurgião Geral declarou uma epidemia de uso de cigarros eletrônicos jovens. Assista a este vídeo para aprender como identificar Juul, Sourin e Pen Pal, produtos populares de cigarro eletrônico e vaping. Converse com seus filhos sobre o vício em nicotina e os produtos que eles estão usando para fumar sabores com infusão de nicotina.


Fonte: Poder 360, 2018

*29 de novembro de 2018: Empresa dona da Marlboro negocia aquisição de startup de cigarros eletrônicos:[16].

A Altria, dona da marca Marlboro, negocia a aquisição de uma parcela da startup de cigarros eletrônicos Juul Labs. stimativas indicam que o valor de mercado da Juul Labs pode chegar a US$ 16 bilhões. Os vaporizadores, em formato de pendrive, contêm 1 líquido com nicotina de sabores variados, como manga e pepino, e tornaram-se febre entre estudantes do ensino médio norte-americano.


*13 de novembro de 2018: Mentol em cigarros é `problema significativo', segundo FDA:[17].

Notícia que trata da questão dos aditivos mentolados em cigarros como uma ação que propicia a entrada dos jovens ao fumo, segundo Scott Gottlieb, comissário da Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA, em inglês). Contudo, o mesmo considera que os cigarros eletrônicos são mais seguros do que os comuns, apesar de ainda não haver estudos comprobatórios quanto aos reais riscos desse modelo de fumo.


*13 de abril de 2018: Painel debate Dispositivos Eletrônicos para Fumar:[18].

Matéria que versa sobre o painel organizado pela Anvisa com o intuito de debater sobre o cigarro eletrônico, seus malefícios e suas implicações regulatórias. Vale ressaltar que este tipo de produto foi proibido desde 2009, quando foi publicada a resolução RDC 46/2009. Essa norma traz como proibições a comercialização, a importação e a propaganda de quaisquer dispositivos eletrônicos para fumar que aleguem substituição de cigarro, cigarrilha, charuto, cachimbo e similares ou objetivem alternativa ao tratamento do tabagismo.


Fonte: Folha do Mate, 2018

*21 de março de 2018: "Estamos nos preparando para o futuro", afirma presidente da Souza Cruz:[19].


Fonte: Anvisa, 2018

*6 de fevereiro de 2018: POR que o cigarro eletrônico não é autorizado?:[20].

Página eletrônica da Anvisa onde explica as razões da proibição do cigarro eletrônico no Brasil. Também inclui o documento elaborado pela Associação Médica Brasileira (AMB) e demais sociedades médicas, que argumentam sobre a ausência de estudos e, por conseguinte, de conclusões sobre a nocividade do cigarro eletrônico, impede que o mesmo seja liberado para comercialização. Apresenta a Resolução RDC 46/2009 e um relatório elaborado pelo Secretariado da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT) da Organização Mundial da Saúde (OMS) que também convida todos os 181 países a proibirem a comercialização de dispositivos eletrônicos para fumar.


*27 de julho de 2016: France comes down on side of e-cigarettes:[21].

Matéria sobre a França e a forma com que vem lidando com a questão do cigarro eletrônico. O ministério de saúde do país, apresentou uma nota dizendo que os cigarros eletrônicos podem ser utilizados como uma ferramenta na diminuição progressiva do hábito de fumar.


Fonte: SFGate, 2016

*10 de março de 2016: Senate approves tobacco bills, increasing smoking age to 21:[22].

Notícia que demonstra o interesse do senador Jerry Brown em analisar medidas anti tabaco, por exemplo, tornar ilegal a venda de produtos de tabaco a menos de 21 anos, classificar o cigarro eletrônico como um produto proveniente do tabaco, impondo a mesma regulação aplicada a outros produtos fumageiros. Todavia, a indústria do tabaco e alguns republicanos consideram estas atitudes como oriundas de um Estado-Babá.


*11 de novembro de 2014: Televisão inglesa irá exibir comercial de cigarros após 49 anos proibidos:[23].

Matéria Jornalística sobre um comercial de televisão de cigarro eletrônico, que será apresentado após 49 anos de proibição na Inglaterra.


Fonte: Veja, 2014

*6 de outubro de 2014: Eempresas de tabaco atacam fabricantes de cigarros eletrônicos:[24].

As indústrias de tabaco veicularam avisos contra as indústrias menores de cigarro eletrônico, utilizando-se de argumentos elementares como os efeitos nocivos da nicotina até a não recomendação do cigarro eletrônico para pessoas com “com instabilidade cardíaca, pressão alta ou diabetes; nem pessoas que tomam medicamento para pressão ou asma” segundo Reynolds American, fabricante da Camel. William Phelps, porta-voz da Altria, fabricante do Malboro, diz que os avisos das empresas de cigarro eletrônico refletem uma comunicação sincera sobre os efeitos nocivos da nicotina. Para especialistas, estes discursos tratam-se de estratégias de publicidade, prevenindo processos judiciais além da construção de uma imagem de responsabilidade.


Fonte: Exame, 2014

*15 de julho de 2014: Imperial Tobacco lança cigarro eletrônico para conter quedas:[25].

A Imperial Tobacco, Philip Morris International e British American Tobacco enfrentam queda nas vendas, devido a regulamentação governamental. Em contrapartida, a Imperial Tobacco lança reduz custos e lança cigarro eletrônico para tentar evitar quedas maiores. Alison Cooper, presidente-executiva da Imperial, afirma que o crescimento será modesto mesmo adotando a política de corte e lançamento de novos produtos.


Fonte: Uol, 2014

*30 de abril de 2014: Fabricante de cigarros British American Tobacco anuncia 2.300 demissões:[26].

A fabricante de cigarros British American Tobacco (BAT) anunciou hoje a supressão de 2.300 postos de trabalho no mundo, parte da estratégia de adaptação à mudança dos hábitos de consumo e ao crescimento dos cigarros eletrônicos.


*11 de junho de 2013: O MARLBORO eletrônico chega sem o cowboy que fumava demais:[27].

A empresa de tabaco Philip Morris lançou o e-cigarro da Marlboro. A American Reynolds anunciou uma nova versão de seu cigarro eletrônico, enquanto que a Altria Group3, que produz o Marlboro, lançará o Markten, ampliando a oferta de cigarros sem nicotina e sem fumo. Os cigarros eletrônicos são dispositivos que funcionam com uma bateria que esquenta uma solução líquida de nicotina, criando um vapor que os usuários inalam. Esse mercado já mobiliza US$ bilhão por ano e possui cerca de 250 marcas no mundo. A Marlboro, famosa pela publicidade dos cigarros apresentando cawboys fumantes, retirou essa propaganda na versão dos cigarros eletrônicos. Os dois atores que interpretaram os cowboys, Wayne McLaren e David McLean, morreram de câncer no pulmão, levando a marca a ganhar o apelido de ‘assassinos de cowboys’.

Notas e referências

  1. FREEMAN, Kevin. Mercado Cigarro eletrônico e Tabaco Vapor por atores-chave, análise de informações sobre produtos e produção e previsão para 2026. Braga Magazine, [s.l.], 17 maio 2020. Disponível em: http://bragamagazine.com/2020/05/17/mercado-cigarro-eletronico-e-tabaco- vapor -por-atores-chave-analise-de-informacoes-sobre-produtos-e-producao-e-previsao-para-2026/. Acesso em: 10 jun. 2020. Documento integral: PDF
  2. A GAZETA esteve lá: na audiência da Anvisa, em Brasília. Gaz, Rio Grande do Sul, 2 maio. 2020. Disponível em: http://www.gaz.com.br/conteudos/geral/2020/05/02/165151-a_gazeta_esteve_la_na_audiencia_da_anvisa_em_brasilia.html.php. Acesso em: 08 jun. 2020. Documento integral: PDF
  3. EM jogo, saúde pública e liberdades individuais. Ver o fato, Pará, 21 abr. 2020. Disponível em: https://ver-o-fato.com.br/em-jogo-saude-publica-e-liberdades-individuais/ . Acesso em: 13 mai. 2020. documento integral: PDF
  4. IQOS cria serviço gratuito de empréstimo com uma máquina de tabaco aquecido 2.4 Plus. Trendy, Portugal, 13 abr. 2020. Disponível em: https://trendy.pt/2020/04/ iqos -servico-gratuito-emprestimo/ . Acesso em: 29 jun. 2020. documento integral: PDF
  5. GOVERNADOR defende debate sem preconceito sobre os produtos de tabaco aquecido. Agrolink, Rio Grande do Sul, 12 mar 2020. Disponível em: https://www.agrolink.com.br/noticias/governador-defende-debate-sem- preconceito -sobre-os-produtos-de-tabaco-aquecido_431355.html . Acesso em: 29 jun 2020. Documento integral: PDF
  6. LODICE, Julianna. Philip Morris quer parar de vender cigarros. Forbes, Estados Unidos, 18 jan. 2020. Disponível em: https://forbes.com.br/negocios/2020/01/philip-morris-quer- parar -de-vender-cigarros/ . Acesso em: 10 jun. 2020. Documento integral: PDF
  7. EUA anuncia proibição parcial de cigarros eletrônicos aromatizados. UOL, 2 jan. 2020. são Paulo, Disponível em: encurtador.com.br/kwEHX. Acesso em: 10 jun. 2020. Documento integral: PDF
  8. PHILIP Morris, dona do Marlboro, faz estreia com dispositivo de tabaco aquecido os EUA. Infomoney, São Paulo, 4 out. 2019. Disponível em: https://www.infomoney.com.br/consumo/philip-morris-dona-do-marlboro-faz-estreia-discreta-de-cigarro-eletronico-nos-eua/. Acesso em: 10 jun. 2020. Documento integral: PDF
  9. FABRICANTES de cigarros eletrônicos preparam estreia no país. Estado de Minas, Minas gerais, 11 set. 2019. Disponível em: https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/09/11/internas_economia,1084173/ fabricantes -de-cigarros-eletronicos-preparam-estreia-no-pais.shtml . Acesso em: 13 abr. 2020. Documento integral: PDF
  10. KAPLAN, Sheila; RICHTEL, Matt. A misteriosa doença ligada ao cigarro eletrônico que está 'se tornando uma epidemia' e intriga médicos. O Globo, São Paulo, 5 set. 2019. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/a-misteriosa-doenca-ligada-ao-cigarro-eletronico-que-esta-se-tornando-uma-epidemia-intriga-medicos-23929041?utm_source=WhatsApp&utm_medium=Social&utm_campaign=compartilhar. Acesso em: 19 jun. 2020. Documento integral: PDF
  11. CONTAIFER, Juliana. “Brasil é exemplo no combate ao fumo”, diz especialista internacional. Metrópoles, Brasília, 4 set. 2019. Disponível em: https://www.metropoles.com/saude/brasil-e- exemplo -no-combate-ao-fumo-diz-especialista-internacional . Acesso em: 29 jun. 2020. Documento integral: PDF
  12. CIGARRO eletrônico ameaça política de combate ao fumo no Brasil. R7, São Paulo, 29 ago. 2019. Disponível em: https://noticias.r7.com/saude/cigarro-eletronico-ameaca-politica-de-combate-ao-fumo-no-brasil-29082019. Acesso em: 3 jul. 2020. documento integral: PDF
  13. SILVA, Cristiano. Setor se mobiliza pela inserção dos cigarros eletrônicos no mercado. Gaz, Rio Grande do Sul, 25 jul. 2019. Disponível em: http://www.gaz.com.br/conteudos/regional/2019/07/25/150605-setor_se_mobiliza_pela_insercao_dos_cigarros_eletronicos_no_mercado.html.php. Acesso em: 24 jun. 2020. documento integral: PDF
  14. PAULUZE, Tahiza. Cigarro da moda nos EUA, Juul é vendido ilegalmente via delivery no Brasil. Folha de São Paulo, São Paulo, 23 jun. 2019.Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/amp/equilibrioesaude/2019/06/cigarro-da-moda-nos-eua-juul-e-vendido-ilegalmente-via- delivery -no-brasil.shtml . Acesso em: 1 abr. 2020. Documento integral: PDF
  15. TOBACCO FREE CA. Identify which products teens are vaping. Estados Unidos, 4 abr. 2019. 1 AVI (1 min.). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?time_continue=2&v=fjDP8rTktWw. Acesso em: 24 jun. 2020. documento integral: AVI
  16. EMPRESA dona da Marlboro negocia aquisição de startup de cigarros eletrônicos. Poder360, 29 nov. 2018. Disponível em: https://www.poder360.com.br/economia/empresa-dona-da-marlboro-negocia-aquisicao-de-startup-de-cigarros-eletronicos/. Acesso em: 29 jun. 2020. Documento integral: PDF
  17. Edney, Anna. Mentol em cigarros é `problema significativo', segundo FDA. Uol, São Paulo, 13 nov. 2018. Disponível em: https://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2018/11/13/mentol-em-cigarros-e-problema-significativo-segundo-fda.htm. Acesso em: 26 nov. 2018.
  18. PAINEL debate Dispositivos Eletrônicos para Fumar. Anvisa, Brasília, DF, 13 abr. 2018. Disponível em: https://goo.gl/tZH2tV. Acesso em: 16 abr. 2018. Documento integral: PDF
  19. WACHOLZ, Letícia. "Estamos nos preparando para o futuro", afirma presidente da Souza Cruz. Folha do Mate, Rio Grande do Sul, 21 mar. 2018. Disponível em: http://www.folhadomate.com/noticias/geral15/estamos-nos-preparando-para-o-futuro-afirma-presidente-da-souza-cruz. Acesso em: 28 mar. 2018. Documento integral: PDF
  20. POR que o cigarro eletrônico não é autorizado? Anvisa, Brasília, DF, 6 fev. 2018. Disponível em: https://goo.gl/bbbihW. Acesso em: 6 fev. 2018. Documento integral: PDF
  21. FRANCE comes down on side of E-cigs. Tobacco Reporter, Estados Unidos, 27 jul. 2016. Disponível em: http://www.tobaccoreporter.com/2016/07/france-comes-down-on-side-of-e-cigs/. Acesso em: 29 jul. 2016. Documento integral: PDF
  22. GUTIERREZ, Melody. Senate approves tobacco bills, increasing smoking age to 21. SFGate, San Francisco, Estados Unidos, 10 mar. 2016. Disponível em: http://www.sfgate.com/politics/article/Senate-approves-tobacco-bills-increasing-smoking-6882428.php. Acesso em: 30 mar. 2016. Documento integral:PDF
  23. TELEVISÃO inglesa irá exibir comercial de cigarros após 49 anos proibidos. Rondoniadinamica, Roraima, 11 nov. 2014. Disponível em: https://www.rondoniadinamica.com/arquivo/televisao-inglesa-ira-exibir-comercial-de-cigarros-apos-49-anos-proibidos,81365.shtml. Acesso em: 18 jan. 2016. Documento integral: PDF
  24. EMPRESAS de tabaco atacam fabricantes de cigarros eletrônicos. Veja, São Paulo, 6 out. 2014. Disponível em: <http://veja.abril.com.br/noticia/economia/empresas-de-tabaco-atacam-fabricantes-de-cigarros-eletronicos-diz-nyt>. Acesso em: 2 mar. 2015. Documento integral: PDF
  25. GELLER, Martinne. Imperial Tobacco lança cigarro eletrônico para conter quedas. Exame, São Paulo, 15 jul. 2014. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/imperial-tobacco-lanca-cigarro-eletronico-para-conter-quedas>. Acesso em: 3 mar. 2015. Documento integral: PDF
  26. FABRICANTE de cigarros British American Tobacco anuncia 2.300 demissões. UOL, São Paulo, 30 abr. 2014. Disponível em: https://economia.uol.com.br/noticias/afp/2019/09/12/british-american-tobacco-anuncia- 2300 -demissoes.htm. Acesso em: 29 jun. 2020. Documento integral PDF
  27. O MARLBORO eletrônico chega sem o cowboy que fumava demais. Estadão, São Paulo, 11 jun. 2013. Disponível em: http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,marlboro-eletronico-chega-sem-o-cowboy-que-fumava-demais,156258e. Acesso em: 19 jun. 2020. documento integral: PDF